Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao utilizar nossos serviços, você concorda com tal monitoramento.

O momento é de união, afirma Lissauer ao oficializar desistência de pré-candidatura ao Senado

No documento, Lissauer diz que não irá concorrer a nenhum cargo eletivo em 2022 e atribui a decisão à morte do pai, Carlos Vieira, no primeiro semestre.
Loading...
Image Main
Fonte: Reprodução Mais Goiás

O presidente da Assembleia Legislativa de Goiás, Lissauer Veira (PSD), oficializou a desistência da pré-candidatura ao Senado em nota divulgada na manhã desta quarta-feira (3). O Mais Goiás mostrou que o deputado estadual deve ser indicado para ocupar cargo de conselheiro do Tribunal de Contas do Município (TCM) no lugar de Valcenôr Braz.

No documento, Lissauer diz que não irá concorrer a nenhum cargo eletivo em 2022 e atribui a decisão à morte do pai, Carlos Vieira, no primeiro semestre.  “À época, foi uma decisão dura, que me fez refletir bastante, mas eu estava certo de que naquele momento não conseguiria cuidar das minhas atividades particulares e exercer uma função pública com a dedicação que eu acredito ser necessária”, diz.

Lissauer ainda aponta que em abril atendeu a pedido de colegas deputados estaduais, prefeitos e vereadores, além de diversas lideranças políticas, e aceitou a pré-candidatura ao Senado. No entanto, citou a possibilidade de candidaturas avulsas como “divisão”.

“Diante da decisão de candidaturas avulsas ao Senado Federal, entendemos, em conjunto, que o momento é de união e fortalecimento da chapa, não de divisão. Precisamos agregar força à base aliada, consolidando o grupo em prol de um bem maior, que é cuidar do nosso estado”, afirma.

Desistência

Sem chances de ser o candidato único na base caiadista, o pessedista ensaiou rompimentos com o governo, mas que não foram levados adiante pela insistência de integrantes e do próprio presidente do PSD, Vilmar Rocha, em se manter ao lado do governador.

Lissauer já vinha costurando há algum tempo a possibilidades de conseguir ocupar uma cadeira em um dos tribunais, mas só obteve as bênçãos de Caiado na última semana.

A desistência aconteceu um dia após Lissauer receber apoio de 27 prefeitos em evento de entidades de municipalistas.


informações Mais Goiás

Anúncio
Loading...
Image
Anúncio
Loading...
Image